terça-feira, outubro 24, 2006

De volta à tabuada!



"Legislativas 2005: todos os partidos com contas erradas

Organismo a funcionar junto do Tribunal Constitucional e que pela primeira vez teve a seu cargo a fiscalização das contas dos partidos, a Entidade das Contas e Financiamento Políticos apurou que as contas de todos os partidos, relativas às últimas eleições legislativas, estão cheias de irregularidades.
"

Os senhores deputados da Assembleia da República confrontados com esta realidade, mostraram-se indignados, justificando as irregularidades através da complexidade da nova Lei do Financiamento dos Partidos Políticos e alegando que deverá ser concedido um período de adaptabilidade!

De referir ainda que, sem excepção, todos os partidos apresentaram irregularidades! Mesmo os que tanto proclamam a transparência!

Bem sei: "Olha ao que digo e não ao que faço!"!

Perante isto, duas questões:

Uma Lei não é aprovada pelos próprios deputados na Assembleia da República?

O Zé Povo também pode alegar complexidade para justificar irregularidades?

sexta-feira, setembro 22, 2006

Sela e põe-te a mexer!



Já me tinha esquecido do "ENVELOPE 9"! (e também não me lembro do 1, nem tampouco do 2 e adiante, mas...)

Aliás, não é pra lembrar, assim como todo o resto do Processo "CASA PIA"!

Mas curioso é que o "Bloco de Esquerda" se lembra (tomam "fosfoglutina", claro está!), pede ao ainda Sr. Procurador-Geral Souto Moura que vá à digníssima e monumental "Assembleia da Républica" justificar a ausência de conclusões e acções e o libertador e democrático "Partido Socialista", aka "Governo" (ou será ao contrário?) entende que NÃO!

E pronto, "tudo como dantes no Quartel de Abrantes"!

quarta-feira, junho 28, 2006

Governo futeboleiro



Depois de lêr este artigo na TSF Online

"Laurentino Dias disse à TSF que, no jantar do Aviz, «realizado no momento alto da especulação da ida de Scolari para Inglaterra», pediu ao seleccionador nacional «que, honrando o contrato que tem com a Federação Portuguesa de Futebol, guardasse o seu futuro profissional para o seu íntimo, e pensasse apenas na selecção e no Mundial2006».

O secretário de Estado disse ainda acreditar que Scolari vai ser sensível à confiança que os portugueses depositam nele. «Eu acho que vai e acho que era bom para a selecção [se o contrato de Scolari na selecção portuguesa fosse prolongado por mais dois anos]», afirmou.

«Os jogadores que têm trabalhado com ele dizem que Scolari é imprescindível, por isso era muito bom e muito útil se continuasse na selecção», concluiu o secretário de Estado.
"

penso, cada vez mais, que o futebol comanda a cabeça dos (efectivamente) tugas e que, um dia destes, temos a elevação do Sr. Scolari (que é um trabalhador como qualquer outro, a ter que cumprir com zelo as suas funções) a Chefe-de-Estado!

Vira o circo e toca o mesmo!

terça-feira, junho 20, 2006

Bem-me-quer... mal-me-quer...


(Verso l'Infinito, de Lorena Guarise)

Ainda perdida na (in)decisão de abandonar (ou não) este projecto...

Projecto (tem graça, tem) – algo que começa, tem meio e terá um fim... Tudo será, um pouco, assim...

Falta de tempo (quase sempre, a eterna (des)culpa), falta de alento... Sobretudo (e ainda não chegamos ao Inverno), perdida... com uma imensa, tamanha vontade de fugir, por entre todos os dedos...

Bem-me-quer ... mal-me-quer...

Bem-me-quero ... mal-me-quero ...

Até logo! (a mim mesma)

sexta-feira, maio 05, 2006

Deveria ser todos os dias, mas...

É a prata da casa!

terça-feira, abril 11, 2006

Modernices


(via mail)

E a "net" já chega a todo o lado!

E, como esperado, só traz coisas boas e doces!

(é como o coelho da Páscoa!)

quarta-feira, abril 05, 2006

Ai, que até dói

Depois de ouvir (e não acreditar), resolvi ir até ao site da Galp e confirmar a letra do hino de apoio à selecção.

Assustei-me!

"Porque não pedir o Mundo ?

Cinco, quatro, três, dois, …
Pois, não passámos do dois.
Mas deixemos os relatos infelizes para depois.
Estivemos quase, mas quase não sei se chega.
Mandámos vir champagne e deu-se a tragédia grega.
Como é que se diz? Foi por um triz que nós não pusemos os pontos nos is.
Nabice? Preguiça? Alguém faltou à missa?
Qualquer coisa lhes deu, não sei bem o que foi.
Sei é que fizemos um grande campeonato mas na final não jogámos um boi.

(...)

O tuga, que até hoje só provou que consegue ser segundo,
Vai, por isso, deixar de ser chouriço
e assumir o compromisso de ser campeão do mundo.

(...)

É o retrato de um país aplicado ao futebol.
Tem tudo o que é preciso, só perde por ser mole.
Toca a acordar, pessoal!
Queremos mais garra,deixar de ficar felizes quando a bola vai à barra.
Vamos com tudo, meter o pé, chutar primeiro,
Que o último a chegar é calaceiro.

(...)

Heróis de Berlim, nobre povo…
Não tinha graça cantar um hino novo?
Escrito pelo pé de artistas
que vão alargar as vistas à nação verde e vermelha.
Ficar em segundo? Nem morto!
Ganhar ou perder é desporto? 'Tá bem abelha!
Venha a Alemanha, o Brasil ou a Argentina
com cabelos de menina e cara de lobo mau,
se calham a apanhar-nos pela frente e viram as costas à gente… TAU!

(...)"

Fiquei na dúvida, é p'ra rir ou p'ra chorar?

É que o conteúdo, a linguagem e a rima são de uma probreza assustadora, que mete dó!

E a saga continua...

O Governo consegue, finalmente, a nomeação de um novo Director para a Polícia Judiciária.

Parecem, agora, estar reunidas as condições para lentamente ir afastando a “PJ” de investigações, que se revelariam comprometedoras e incómodas ... ?

Toda a “Oposição” considera grave esta súbita mudança de palco, todo o bom senso assim o dita, contudo, este Povo que tanto se orgulha da Revolução do 25 de Abril, mantém-se sereno, para não dizer inerte.

E mais grave que um Governo prepotente e pouco transparente, é um Povo manso, desinteressado e omisso!

Continuação de bom dia!

quinta-feira, março 30, 2006

Crise à volta da "PJ"

Assistimos a uma autêntica guerra instituicional entre o Governo e a Polícia Judiciária.

O estrangulamento financeiro e orçamental imposto à "PJ" e a retirada de competências, nomeadamente as ligações com a "Interpol" e a "Europol" (cuja gestão passará directa e exclusivamente para o Ministério da Administração Interna), parecem querer afastar a Polícia Judiciária.

Do quê?

Onde está o democrático mito político e social da independência entre os poderes legislativo/executivo/judicial? É cada vez mais um mito?

A quem incomodará tanto a actuação da "PJ"?

Sim, Sr. Ministro.

quarta-feira, março 29, 2006

A história repete-se ... ?

O regresso dramático dos emigrantes portugueses residentes no Canadá.

A deslocação do MNE ao Canadá para esclarecer / clarificar / solucionar esta mesma situação.


A minha (e creio que de todos) condenação da "expulsão" de todos aqueles que organizaram uma vida, criaram raízes, formaram famílias e construiram sonhos... e regressam com "uma mão à frente e outra atrás"...

O olhar para há cerca de 30 anos atrás e recordar algo de dramaticamente semelhante - ainda mais dramático, pelo contexto, pelo volume de gentes, pelo rótulo colocado ("os retornados")...

O olhar para trás e apenas recordar a pressa, a ânsia de Portugal em abandonar as (ex)colónias, esquecendo toda a sua gente ... e não ver, nem sentir qualquer preocupação pelo (des)Governo de então...

É bom que saibamos aprender com os erros.

É bom que saibamos sempre condenar (convictamente e coerentemente) as desumanidades contra a dignidade.

Ah, e já agora é bom que saibamos reconhecer os erros.
rua acima